16 de out de 2016

A resposta já está comigo faz tempo e é o que tem me atormentado. Ela vai embora quando estou contigo, mas não é suficiente. Tem tirado meu sono e minha paz. Minha esperança na gente. Eu tenho me perguntado o motivo. É o mesmo sempre. A resposta vem junto da sensação de abandono, que me causa inseguranças e medos profundos. Mas durante um ano havia esperança, eu tinha fé que tudo se resolveria, que as coisas ficariam bem. Eu tinha paz. Mas agora estou aqui, você está aí, mais uma vez estamos distantes. É que cheguei nos meus limites, esperei demais, acreditei demais. E nada aconteceu. Há um ano as coisas lentamente vieram secando, rachando. Quando eu digo que apenas eu reguei o terreno do nosso amor, é por isso. Depositei muita vontade de mudança, muita crença que ia brotar o que precisávamos. Teu erro foi achar que era pra mim. Sempre foi por nós. Não queria nada disso. Nunca quis culpa, cobranças, distância. Mas foi o que brotou. Mais uma vez, é sobre nós dois. Vamos colher juntos, muito embora nos separe.
A resposta doi a cada vez que se mostra mais exata. É verdade, nos perdemos. Nós queremos nos achar, mas já não conseguimos.


"Não tem jeito, companheiro, nos perdemos no meio da estrada e nunca tivemos mapa algum, ninguém dá mais carona e a noite já vem chegando." Caio Fernando Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário