7 de dez de 2016

To bêbada
Faz tempo é que não to sóbria
Pra pensar na gente
E quando penso
Me vem uma vontade louca de te ver
Quando te vejo
Me vem uma vontade louca de beijar
Abraçar
Conversar
Ficar a eternidade
Pedir pra voltar
Dizer que não vou embora
Que fico
Assim, desse jeito
Insegura, perdida, magoada, fudida
Mas volto a mim
Vejo que não
Que o tempo é necessário
Que precisamos nos curar
Mas tem cura?
Volto a ficar fora de mim
Bebo
Entorpeço
Pra não te lembrar
Nem presença
Beijo
Sexo
Encontro
Esse encontro que foi acaso
Que talvez não volte
Que volta
Mas como?
E se volta
Volta como?
As vezes quero que nunca volte
Pra manter o amor
Pra nunca ser só amizade
Te quero assim
Paixão ardente
Que borbulha estremece amedronta
Causa medo em perder
Mas te perdi
Já te perdi, eu disse
Talvez não te encontre
Talvez te encontre
Quem sabe?
Eu queria saber
Tu sabe?
Me conta
Preciso me encontrar
To na esquina que tu cruzar
A tua espera
Sempre
Pronta pra te dar
Todo amor do mundo
Meu amor é teu
Todo teu!
Até que assim seja

Nenhum comentário:

Postar um comentário