19 de set de 2011

Pedido

Os pés pedem menos calos e caminhos mais suaves.
As mãos por um rosto real, sem expressões fingidas.
Os ouvidos pedem verdade, palavras sentidas!
O corpo pede presença, aconchego, aperto...
O corpo pede amor de peito e braços abertos.
O corpo pede, pede por você gritando como se ouvistes...
O corpo pede, mas você não vem - e nunca mais virá.

Um comentário:

  1. E muitas vezes, a mente vai aprisionada a esse corpo, sem entendê-lo, sem entender-se, mas presa ao sentimento que não quer desistir de nos mover.
    Que poema lindo! Gostei muito mesmo!
    Um abraço carinhoso
    Cawan

    ResponderExcluir