4 de mar de 2014

Eu gosto...

  Eu gosto quando as pessoas estão fora de si. Sair de si diz muito sobre alguém. Sair de si é encontrar-se. Sair de si é ser. Gosto quando as pessoas estão extasiadas, bêbadas, loucas. Eu gosto quando as pessoas quebram as barreiras de si. Tem gente que se esconde em um casulo e quando sai, é bonito de se ver. Tem gente que vive no sol e vez em quando, se acalma na sombra. Tem gente que cansa e senta, tem gente que de tanto parar, apressa, pula, se solta. Tem gente corre, porque já andou demais. Gente que anda, porque já viveu demais. Gente que vive, porque já esperou demais. Gente que espera, porque ainda não se cansou. Gente que cansa, porque a vida é curta. Gente que encurta, porque se alongou demais. Gente que se alonga, porque já repousou demais.
  Eu gosto quando as pessoas quebram a rotina, se despedem, se enfrentam, se encontram, rememoram, revivem, recriam-se. Eu gosto de ciclos. Eu gosto de circos. Eu gosto de festa, de brilho, alegria. Eu gosto de sair de mim, de dançar, de sorrir. Eu gosto de sair de mim, porque eu nasci pra liberdade. Eu nasci pra quebrar as portas, as janelas, as algemas. Eu nasci pra criar asas, exercita-las e voar. Eu definitivamente, nasci pra voar.

Um comentário: