27 de jan de 2014

 Acordei penosa depois de tantos sonhos pesados. Intensos, densos. Acordei ressentida de toda verdade que continha neles e da frustração de serem apenas. Apenas sonhos. Ai fiquei vazia. Difícil recuperar-se das projeções da mente. Dos seus anseios... meus anseios. Ai fiquei inerte, sem vontade alguma. Queria voltar a dormir, queria nunca ter acordado. Queria fazer do sonho realidade. Queria você comigo na cama, sendo fogo ou calmaria. Queria você comigo na casa, na cidade, na vida. Queria você de volta.

 Difícil despedir-se do amor. Ele volta um dia? Tão difícil acreditar em amor de novo. Amar de novo. Tão difícil pensar em não te amar mais. Tão difícil é o amor. O amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário