8 de jan de 2014

Linha tênue


 Estou bem. Solitária, mas estou bem. Ando dando abertura pro sofrer, mas estou bem. Vez em quando vem uma angústia no peito, bate uma saudade, mas respiro, suspiro, choro... Passa. Tudo nessa vida passa, você também há de passar. 
 Mas aí logo volta, a dor, e eu me desmancho toda. Feito alguém que ama e doi, o fato de amar. Feito alguém que tenta dar um passo, mas retrocede dois. Eu sabia que seria difícil esquecer. Por isso to remoendo, me sentindo, me dissolvendo. Eu preciso te esquecer, pra ficar inteira de novo. Eu preciso de mim, porque já não te tenho.
 E talvez, assim, eu nessa linha tênue que é amar, caia e me reerga.

Um comentário: