8 de set de 2013

O meu amor

É como um espaço que era preenchido e com uma brusca interrupção, fica vazio. Torna-se um buraco doloroso.
Pessoa como você, é rara - está em falta. E me faz uma falta... Não falo de um amor perdido, e sim, partido.
Ele partiu e continua comigo. A gente rega o amor, pra que suas raízes sejam maiores e ultrapassem fronteiras. Ultrapassem o que nos divide e que ironicamente nos une ainda mais: a distância.
A vida às vezes pega um pouco pesado e estou buscando forças, pra viver essa nova aventura que me apresenta. Aventura, porque a gente a vive dia a dia, com surpresas.
A minha grande aventura é amar. Pois quanto mais difícil, mais eu amo. Não por insistência ou rebeldia, mas por florescimento. A vida floresce do amor e necessita dele.
Eu encontrei um amor. Ele está longe. Longe do meu olhar. E não admirá-lo me faz chorar de saudade. Mas aí vem o coração acalentar. O coração, carregado, ainda assim me sustenta. Pois que o coração também chora de saudade...

O amor partido, é o único que me completa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário