27 de fev de 2012

Prever o futuro. 
Percorrer o caminho já visto antes, saber de todos os atalhos, reconhecer onde a paisagem fica mais bonita, que árvore chama mais atenção e que quando não é lua cheia e o sol se põe, o breu é menor na presença de alguém. Na medida que pisa, à frente há as pegadas de um tempo distante que nunca viveu, mas que está se montando.
Prever o futuro.
Procuro desfazer todo atalho, as pegadas, paisagens memoráveis, presença desse alguém que não conheço. Procuro ir para esse caminho com a mente em branco, sem afeto anterior. Procuro desfazer o passado que invade esse caminho que tento prever, prevejo, disfarço e me desfaço.
Desfaço o futuro já ex-presente. Vira passado.

Um comentário: